Entenda como derrubamos a Lei que criava 3 cargos
de segurança pessoal para ex-governadores.


Em 28 de março de 2018 o governador Ricardo Coutinho sancionou a lei 11.097. Um dos artigos determinava que 3 PMs fariam a guarda pessoal de ex-governadores. A lei foi aprovada nas escuras na Assembleia Legislativa no dia 21 de março, o dia que teve até um apagão elétrico na casa. Pra deixar ainda mais suspeito, a lei não passou por nenhuma Comissão.

Ao sair do cargo, o governador recebe uma aposentadoria de R$ 23.500,82. Por que não contratar segurança privada? Na Paraíba, temos 1 PM para 438 habitantes. Tirar 3 policiais das ruas para servir de guarda-costas é um disparate!

A Lei de Ricardo viralizou, virou notícia na Folha de São Paulo, foi debatida na Câmara de Vereadores de João Pessoa e pelos Deputados Estaduais, até que o líder do governo, Hervázio Bezerra, pressionado pela opinião pública, apresentou um PL revogando a lei da guarda pessoal. A matéria foi aprovada na Assembleia e Ricardo sancionou.

ENTENDA O CASO





APOIE NOSSA MISSÃO


A rápida ação da equipe da Minha Jampa, que conta com mais de 6 mil cidadãos e cidadãs engajados, ajudou a repercutir a Lei e fazer com que o governador voltasse atrás.

A Minha Jampa é apartidária e independente. Não recebemos dinheiro de partidos políticos, governos, empresas públicas e concessionárias de serviço público. Temos uma equipe que se dedica diariamente a fiscalizar e cobrar os políticas da nossa cidade para impedir absurdos e garantir que as demandas da população sejam ouvidas. Mas para continuar fazendo nossa parte, dependemos do apoio de pessoas como você, que acreditam na força do nosso trabalho!

Faça sua doação e ajude a gente a continuar lutando por uma João Pessoa mais democrática, participativa e sustentável.

VITÓRIA
Após muita pressão, o governador Ricardo Coutinho voltou atrás
e em 19 de maio sancionou o PL que altera a Lei das Costas Quentes.
Ou seja, ele não terá mais uma guarda particular às nossas custas quando sair do cargo.





POR QUE ENTRAMOS NESSA?

A política do interesse pessoal é a grande doença do nosso sistema político.
É inaceitável que, com uma simples canetada, nossos representantes concedam a si próprios privilégios absurdos.
A Lei da Guarda Pessoal é um caso flagrante dessa regalia. Além disso, acreditamos que a mobilização
da sociedade civil tem potência suficiente para impedir ou reverter essas práticas.
Junte-se a nós e participe das decisões que definem o futuro da nossa cidade, ou do nosso estado!